Esta postagem faz parte de uma série em curso no blog que analisa as "Certezas" (previsões que muito provavelmente acontecerão) e "Tiros no escuro" (previsões com menos probabilidade de acontecer) sobre segurança cibernética para 2017.  

De acordo com as tendências que estamos vendo no setor de celulares, aqui estão algumas previsões para 2017:

Certeza: Os invasores cibernéticos terão como alvo os provedores de serviços ao explorarem a ampla rede de dispositivos da IoT
Já vimos como a IoT e a tecnologia podem ser usadas pelos invasores cibernéticos para lançar níveis sem precedentes de ataques volumétricos destinados a desabilitar sites e aplicativos específicos. A partir de agora, esses ataques se destinarão cada vez mais a desabilitar a principal infraestrutura de rede do provedor de serviços, o que resulta em interrupções em larga escala de serviços móveis e de outros serviços conectados. Os provedores sofrerão uma pressão significativa para mudar a sua postura de segurança e tirar proveito dos mecanismos avançados baseados na rede a fim de evitar que esses tipos de infecções por malware atinjam os dispositivos da IoT conectados às suas redes.

Certeza: Os invasores cibernéticos aumentarão sua ênfase na exploração de usuários de dispositivos móveis e as infecções de dispositivos móveis aumentarão exponencialmente
Os consumidores aumentam cada vez mais a sua dependência dos dispositivos inteligentes e aplicativos móveis para gerenciar sua vida digital, transformando-se em alvos fáceis para os criminosos cibernéticos e criando um terreno fértil para a disseminação de vários tipos de malware móvel. Essa tendência corroerá a confiança geral dos consumidores em seus serviços móveis e criará um novo desafio para os provedores de serviços, o que estimulará o foco maior dos provedores na proteção dos serviços ao usuário final e na prevenção de potenciais impactos negativos em suas marcas. O debate mais comum será sobre se "a falha é do provedor de serviço".

Tiro no escuro: Os ataques cibernéticos aos usuários de serviços móveis se tornarão a principal causa da rotatividade

As pesquisas mostram que os consumidores preferem perder suas carteiras do que seus telefones celulares (e agora alguns estão usando o seu celular como carteira). Uma pesquisa recente da Accenture sobre usuários de smartphones revelou que 62% estão preocupados com a segurança de suas transações financeiras; 60% estão insatisfeitos com sua conectividade e sua experiência; e 47% estão preocupados com segurança e privacidade. Ao todo, a maioria deles está pronta para mudar de provedor, em parte porque sentem que seus provedores atuais não ajudam a proteger suas propriedades essenciais. As operadoras móveis mudarão o foco para desenvolver novas estratégias que assegurem a segurança dos dispositivos dos clientes a fim de evitar uma erosão da confiança do cliente, o que leva à perda de negócios.

Tiro no escuro: Os provedores de serviços irão comercializar a segurança da IoT como uma vantagem competitiva

Ao longo dos anos, os provedores de serviços tenderam a definir a segurança da rede de maneira muito limitada, com o objetivo primordial de manter a rede disponível, sem nenhuma necessidade ou obrigação real de proteger os dispositivos do usuário final. Essa postura pode ter sido suficiente para operar com sucesso no passado, mas o cenário agora mudou, com uma superfície de ataque móvel em expansão e crescentes ocorrências de dispositivos da IoT infectados lançando ataques maliciosos. As implicações para os provedores de serviços são significativas, especialmente considerando-se que todos contam com a IoT para ajudar a alimentar a próxima onda de crescimento de receita dos serviços móveis; agora, os provedores não têm outra escolha senão abraçar a segurança da IoT para possibilitar negócios futuros. Quem gostaria de ser o operador que permitiu que um hacker se apoderasse de milhares de carros ou o operador que seja rotulado como "o menos seguro" comparado aos seus concorrentes?   Os prestadores de serviços começarão a adotar avançados mecanismos de prevenção de ameaças da IoT baseada na rede e passarão a comercializar a segurança para os potenciais clientes da IoT como uma vantagem competitiva.

Quais são as suas previsões sobre segurança cibernética para os provedores de serviços? Compartilhe sua opinião nos comentários e fique atento à próxima postagem desta série, onde compartilharemos as previsões para o Japão.


Provedores de serviço confrontam a segurança da IoT

Traps: Advanced Endpoint Protection

O Traps evita violações de segurança, em vez de detecção de violação e resposta a incidentes depois que ativos importantes já foram comprometidos.

  • 15469

Principais Recomendações Para Prevenir Ransomware

O ransomware evoluiu de uma interferência de baixo grau para um negócio criminoso sofisticado e multimilionário que agora tem como alvo tanto indivíduos quanto empresas.

  • 308

O Valor da Plataforma de Segurança de Última Geração: Análise do Mundo Real

A combinação de ambientes de TI complexos e modernos e um cenário de ameaças em rápida evolução fez com que muitas empresas fossem desafiadas a controlar custos e, ao mesmo tempo, proteger efetivamente os sistemas dos quais suas operações dependem.

  • 314

VM-Series Para Amazon Web Services

O VM-Series para AWS permite que você proteja seus aplicativos e dados no AWS com firewall de última geração e recursos de prevenção de ameaças.

  • 283

Redução de Riscos em Nível de Conselho Diretivo

A disseminação das violações de dados colocou definitivamente o tema da segurança cibernética na agenda do Conselho de Diretivo.

  • 277

Invasores do setor financeiro exploram as fraquezas da tecnologia blockchain

Ao olhar para 2017, prevejo que veremos as seguintes ameaças à segurança cibernética no setor de serviços financeiros.

  • 259